20180327 Neli se foi

15 anos, 9 meses, 26 dias de paixão.



O dia todo alternou agonia com serenidade, não comia há 3 dias, bebeu água, tomou dipirona.
Saí às 6 pra casa da do a Rosina, depois do jogo amistoso entre Brasil e Alemanha, dia de fazer paçoca, ela estava respirando com força.

André chegou pouco depois, disse que ela estava latindo, subiu pra tomar banho e, quando desceu, ela estava quieta, foi ver e já tinha partido.

Avisou a gente pelo WhatsApp lá na casa da vó.
Decidi prepará-la hoje e ir enterrar no sítio amanhã cedo.















Algumas fotos:

Dia seguinte, 28-3

Saí cedo e fui para o sítio preparar um lugar bem bonito e aconchegante para os restos de Leleki.
Levei uma orquídea de bambu e essas lindas florzinhas.
João preparou o local.















Leleki merece.

20180321 Reflexão sobre o tempo depois de aposentado

Não há mais como negar, o bem mais precioso que existe é o tempo.

A gente que trabalha na iniciativa privada passa praticamente a vida toda escravo do tempo, principalmente através das agendas, projetos e cronogramas.

Depois que se aposenta, tudo muda e, a principal mudança é justamente em relação ao tempo.

Uma coisa boa e ruim ao mesmo tempo.

Aposentado, quase nada mais precisa ser feito no tempo certo. Tudo pode ser procrastinado.

Não se tem mais necessidade de dormir ou levantar na hora certa.

Não se tem mais necessidade de fazer nada hoje, porque posso fazer amanhã.

A parte boa é que se alivia a pressão do tempo mas, por outro lado, exacerba-se a capacidade de procrastinar.

Certa coisas na nossa listinha de coisas a fazer vão ficando lá por muito mais tempo do que antes.

Alguns filmes que a gente tinha vontade de ver e achava que depois de aposentado veria todos, de repente, são até esquecidos, de tanto que ficaram desaparecidos lá naquela listinha de filmes a assistir.

Estou fazendo trabalho voluntário.
Como apareceu um projeto importante com varias pessoas e varias atividades sob diferentes responsabilidades, não resisti e logo pensei em um aplicativo para controlar isso tudo.

No meio das minhas pesquisas topei até com o Asana que tínhamos começado a usar em meu último emprego.

De repente me deu um desespero emnimaginar fazendo todo aquele controle de novo, dando chance para o tempo voltar com sua chibata incansável no meu lombo.

Abandonei a ideia na hora.

Até montei uma lista das coisas a ser feitas, mas sem data.

Preciso me ater a esse serviço voluntário mas sempre longe das chibatadas do controle de tempo.

Tempo é o bem mais precioso que temos e é o que de mais valor conquistei com a aposentadoria e preciso resguardá-lo.

O que não falta são tentações pra tirar esse benefício da gente.

20180318 Maritacas e pinhão

Eu sentado na cadeira de pedra na beira da represa escrevendo no iPhone 7 Plus, ouço um barulho diferente lá pelos lados da casa, vejo que já tem maritacas fazendo serviço nas araucárias.

É que já estamos no final de março, logo vem a semana santa e as araucárias já devem ter pinhas carregadas de pinhão.

Mas sobra bem pouco pra gente.





20180310 Sábado, cerveja artesanal em Lorena, uma bosta

14:24 de Domingo dia 11.
Gustavo e resolvemos ir juntos já que a alternativa seria ficar em casa ou dormindo ou vendo alguma coisa na Netflix.
Como disse Amanda, também não teria sido ruim.

Festival da breja artesanal, essa coisa meio pedante de gente metida a besta.
Mercado Municipal de Lorena, no máximo umas 10 barracas de produtores vendendo cerveja tipo chopp até porque não tinha estrutura para oferecer nada mais gelado.
Tomamos 3 copos de 300 ml a $10 cada, eu tomei a mais ruim, tipo IPA com IBU 30 e teor alcoólico 6,5.
Isabel matou na hora, dipirona pura.

Disse que teria também exposição de carros antigos, tinha mesmo, uns 10 fuscas e alguns outros carros antigos recuperados.
Tudo muito sem muito apelo.

Havia também uma bandinha tocando rock, assim que entramos, parou e não voltaram a tocar até sairmos 😂🤣.

Fora do recinto, achamos logo uma máquina de chopp brahama mas tinha acabado.
Acho que a brahama estava vendendo mais que as artesanais.

Esse negócio de cerveja artenasanal acho que não adianta mais insistir.
Muito raramente a gente acha uma que preste.
A grande maioria é ruim, umas com gosto de remédio, outros muito amargas, nenhuma saborosa quanto às Skol que a gente gosta de entornar o copo nos churrascos na beira da piscina.
E, normalmente, muito caras, claro, os caras produzem pouco e tem que dar um ar de gourmet, coisa boa, coisa rara pra atrair os chatos que se julgam melhor do que o resto do mundo por apreciar algo artesanal.

A amarga que tomei ainda serviu de brincadeira pro resto do dia. Dor de cabeça nunca mais depois de 300 ml de dipirona 😂🤣.

Saímos e fomos pro shopping onde tomamos uns belos copōes de chopp Brahma e Amstel.
Canecona de 500 ml pelo mesmo preço das artesanais de 300.
$10 reais.

Compramos algumas coisinhas na Havan, inclusive as tão faladas toalhas de piso para a saída do box do banheiro.

Depois passamos numa loja de 1 a 99 (achei bacana o nome) e compramos mais um montão de coisinhas inclusive umas boas para os pets.

Comi um mega stacker 2.0 no Burguer King e quase fiquei jantado.
Em casa depois das 10 ainda rolou uma batatinha frita com nuggets.
E mais skol, claro.

Olha o céu preto quando a gente estava chegando à Havan.





Depois do tira-gosto, sobremesa aqui.



Miuchinha estreando uma das roupinhas de $5.
Ela virou o bicho até ser forçada e vestir isso 😂🤣.